As soluções que ajudam os Jogos Rio 2016 a deixarem um legado de sustentabilidade na história

August 10, 2016

“O conceito dos Jogos Olímpicos está mais ligado às práticas sustentáveis do que pensamos. Além das competições em si, o Movimento Olímpico está permanentemente trabalhando com diversos países, pregando valores como a busca da prosperidade para toda a importância do investimento em práticas sociais e em inovação, o trabalho em equipe e a harmonia entre as nações. São conceitos cruciais para que seja possível desenvolver um modelo global e viável de crescimento econômico aliado ao ambiental e social, ao qual chamamos de Sustentabilidade” diz Serge Giacomo, Diretor de Comunicação e Relações Institucionais da GE América Latina.

 

Arquitetura nômade


Para muitos ainda é difícil acreditar nessa possibilidade, porém duas construções do projeto olímpico foram erguidas já pensadas para serem completamente desmontadas e transferidas, com o objetivo de evitar grandes estruturas que sejam pouco utilizadas pela população após o evento.

 

A primeira dessas instalações é a própria sede do Comitê Organizador com mais de 20 mil metros quadrados, que foram construídos em apenas cinco meses com tecnologia modular. No final do evento, todos os blocos poderão ser separados e reaproveitados em outros prédios, deixando pouquíssimo entulho para trás.

 

No Parque Olímpico, o exemplo é a Arena do Futuro, casa do handebol e do golbol. Com o fim dos torneios, essas estruturas metálicas virarão material para a construção de quatro escolas municipais, cada uma com capacidade para 500 alunos, na Barra e em Jacarepaguá.

 

Iluminação inteligente


Essa preocupação com a reutilização dos materiais também pautou o projeto de iluminação para os Jogos. Lembrando que a iluminação depende da energia elétrica, o primeiro passo foi estabelecer um plano de segurança para fazer com que os Jogos sejam à prova de apagão. A segunda, a escolha do LED, tecnologia que permite uma economia de cerca de 50% no consumo e diminuição dos custos de manutenção, possui vida útil maior que a de lâmpadas convencionais e também pode ser retirada intacta e transportada para futuras construções.

 

Tecnologias dentro do campo

 

A competição de hóquei será realizada em um inovador gramado sintético de alta performance. O sistema de superfície é projetado para oferecer:

  • Maior durabilidade;

  • Uniformidade durante o intenso cronograma de competições dos Jogos;

  • Liga mais resistente, mesmo quando a grama está molhada;

  • Resistência ao desgaste e absorção de energia, combinada suavidade e velocidade.

 

Colaboração para um futuro mais sustentável


O Comitê Organizador Rio 2016 lidera um amplo programa de sustentabilidade chamado “Abraça”, que recentemente recebeu o ISO 20121 international standard – um reconhecido certificado global de sustentabilidade para organização de grandes eventos.

 

Como Parceiro Oficial de Mitigação de Carbono da Rio 2016, e contribuidor-chave do “Abraça,” a Dow trabalha além das fronteiras do Rio de Janeiro para tratar de um pilar altamente estratégico do compromisso ambiental da organização: a mitigação da pegada de carbono dos Jogos.

 

“Os projetos de mitigação de carbono impulsionam a inovação, superam barreiras e catalisam mudanças nas práticas de mercado em longo prazo. Nosso trabalho com a Rio 2016 não é somente para a redução de impacto ambiental associado à organização dos Jogos Olímpicos, mas também promover a educação quanto à importância de práticas sustentáveis e entregar benefícios climáticos para a América Latina para os anos que estão por vir”, afirma Júlio Natalense, Gerente de Tecnologias e Sustentabilidade para Jogos Olímpicos e Soluções de Esporte Dow no Rio de Janeiro.

 

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Caminhos-para-o-futuro/Desenvolvimento/noticia/2016/07/o-legado-de-sustentabilidade-dos-jogos-rio-2016.html

Please reload