O que aconteceu com as sementes plantadas na abertura da Olimpíada?

October 10, 2016

Para quem não se lembra, na cerimônia de abertura da Olimpíada Rio 2016 houve um movimento com 12 mil atletas que depositaram sementes em totens espelhados que “floresceram” e se transformaram nos arcos olímpicos.

 

São 15 mil sementes de 207 espécies, que representam os 206 países e o time de refugiados que participaram da Olimpíada e que já foram semeadas.

 

Foi investido em espécies ameaçadas, como o pau-brasil e o palmito-juçara. Entre as sementes de árvores frutíferas há pitanga, cambucá e mamão-de-jaracatiá. E ainda tem ipês amarelos e roxos.

O plano é em que agosto do ano que vem as mudas sejam plantadas no Parque Radical de Deodoro, para dar origem à chamada Floresta dos Atletas.

 

A ideia da semeadura surgiu a partir de uma reflexão sobre o Brasil ocupar uma vergonhosa sétima posição entre os países mais poluidores do planeta. Qual poderia ser a resposta do Brasil para a questão?

 

PROTEGIDAS COM ARGILA

 

Quando foram depositadas nos totens, as sementes ficaram protegidas por camadas de argila, o que caracteriza um processo chamado de peletização. Assim, elas ficam conservadas, só germinando após receberem água. Do Maracanã, as sementes foram transportadas em caminhões para uma fazenda da Biovert, empresa de engenharia florestal contratada para cuidar das mudas.

 

Em Silva Jardim, no Norte Fluminense, muitas já começaram a ganhar folhas. Dentro de uma estufa, com terra adubada e irrigação constante, surgem grãos-de-galo e ingás-cipós. Ao atingirem 50 centímetros de altura, as mudas serão levadas para o plantio, em Deodoro.

 

De acordo com o projeto de plantio, árvores que não precisam tanto de sol serão colocadas ao lado de outras que, mais altas, dependem mais dele.

 

Uma vez plantadas em Deodoro, as mudas continuarão sob os cuidados da Biovert por um período que poderá variar de um ano e meio a três anos. Depois, caberá à população proteger as árvores. O prazo previsto para que a Floresta dos Atletas faça jus ao nome é de seis anos. A expectativa é que em 2020, na Olimpíada de Tóquio, o mundo veja tudo aquilo que foi prometido na cerimônia de abertura dos Jogos do Rio:

 

Dentro da Floresta dos Atletas haverá o chamado Bosque dos Medalhistas, que terá árvores referentes às medalhas distribuídas nos Jogos de 2016. Ali, crescerão espécies com folhagens amarelas, cinzas e vermelhas — cores do ouro, da prata e do bronze.

 

De acordo com Dudu Saramago, da empresa Cerimônia Carioca, responsável pela festa de abertura dos Jogos, o fato de o mundo inteiro ter acompanhado o surgimento do projeto da Floresta dos Atletas fará com que sua preservação seja acompanhada por milhões de pessoas: Lembramos ao mundo que o jeito mais barato e eficaz de reduzir os efeitos nocivos de poluentes é reconstruindo e mantendo as florestas.

Please reload