Os males da purpurina - escolha brilhos mais sustentáveis

February 1, 2017

Carnaval é sinônimo de festa! E, claro, de MUITA purpurina. Mas, para a decepção de quem ama passar os dias de folia brilhando, esse material possui microplásticos e metais que tem preocupado os ambientalistas, pelo fato do produto demorar séculos até se decompor.

 

O debate chegou nas redes sociais esta semana, após o lançamento de um texto do site "Pedra Ambiental", intitulado "Glitter e purpurina: a brincadeira de carnaval que destrói a vida nos oceanos".

 

O artigo foi compartilhado e intrigou entusiastas do Carnaval. No entanto, outros estudos científicos também reforçam o argumento dos ambientalistas. Por exemplo, uma pesquisa publicada em 2015 na revista "Nature" estimou que cerca de 8 milhões de toneladas métricas de plástico chegam anualmente nos oceanos.

 

Em entrevista ao jornal, Cláudio Gonçalves Tiago, pesquisador do Centro de Biologia Marinha (Cebimar-USP), afirmou que os microplásticos podem atrapalhar a obtenção de alimentos para os organismos.

 

O biólogo também recomendou evitar usar glitter e purpurina. "É uma poluição desnecessária, assim como o rojão é desnecessário, por causa da poluição sonora. Na verdade, acho que nós não fazemos muito bem ao meio ambiente", disse.

 

Para a felicidade de todos nós, existe um glitter biodegradável. Neste link, é possível comprar o material (o site entrega para diversos países do mundo).

 

Outra dica seria usar o pó decorativo de confeiteiro, aqueles usados em doces e bolos. Este é um pó comestível que brilha e é uma ótima opção para substituir a purpurina. Tem de várias cores e é fácil de encontrar em lojas de confeitaria de bolo.

 

Fontes: https://catracalivre.com.br/geral/sustentavel/indicacao/glitter-e-purpurina-ameacam-o-meio-ambiente-dizem-especialistas/

Please reload