O que é Economia Circular e como ela pode fazer a diferença na nossa sociedade

August 8, 2018

A economia circular propõe uma mudança em toda a maneira de consumir. Uma reflexão que vai desde o design dos produtos até a nossa relação com as matérias-primas e resíduos.

 

Você já parou para pensar em como funciona a inteligência do planeta? A energia é provida pelo Sol em abundância e todo o ”lixo” de uma espécie é alimento de outra. Tudo nasce para depois morrer e se transformar em energia para o ambiente novamente. O ciclo funciona em harmonia - ou deveria.

O ser humano cada vez mais desequilibra essa balança e torna difícil para os serviços ecossistêmicos suportarem ou se recuperarem. No entanto, alguns estudiosos apontam que a economia circular pode ser uma solução para minimizar o impacto humano no meio ambiente.

Atualmente, nosso sistema produtivo funciona de forma linear. Nós exploramos a matéria-prima, produzimos bens e depois os descartamos. De acordo com dados do IBGE, cada brasileiro produz quase um quilo de lixo por dia, ou seja, são 183 mil toneladas diárias no país todo. Além dos resíduos, o esgotamento de matérias-primas também é uma grande preocupação.

 

A economia circular é um conceito baseado na inteligência da natureza, onde os resíduos são insumos para a produção de novos produtos. No meio ambiente, restos de frutas consumidas por animais se decompõem e viram adubo para plantas. Neste conceito não existe a ideia de resíduo, e tudo é continuamente nutriente para um novo ciclo.

 

Transportando essa dimensão para a indústria de produtos, a cadeia produtiva seria repensada para que peças de eletrodomésticos usados, por exemplo, pudessem ser reprocessadas e reintegradas à cadeia de produção como componentes ou materiais para a fabricação de outros eletrônicos.

 

Para o desenvolvimento sustentável o primeiro passo é desmaterializar produtos e serviços (sistema que valoriza a função, a utilidade e nem tanto o produto em si, desconsiderando o possível reaproveitamento deste material). Há a necessidade de aprimorar a eficiência na criação de produtos e no reaproveitamento de resíduos sólidos.

 

Já na concepção, os produtos devem ser pensados com a utilização de materiais facilmente recicláveis e não perigosos (substâncias puras, não tóxicas e segregáveis). É fundamental reduzir a contaminação para maximizar a circulação dos materiais. Os objetos devem ser concebidos para a remanufatura, a reforma e a reciclagem. Artigos com componentes e materiais no mais alto nível de utilidade, tanto no ciclo técnico quanto no biológico, otimizam a produção de recursos. Desse modo, componentes e materiais continuam circulando e contribuindo para a economia.

 

A economia circular segue uma utilização racional dos recursos. Após um produto chegar ao fim de seu ciclo para o primeiro consumidor, ele pode ser compartilhado e ter sua utilização ampliada. Posteriormente ao esgotamento de reúso do artefato, ele pode ser material de upcycling (reaproveitamento), reformado, remanufaturado e, como última etapa, reciclado. As alternativas de reciclagem atuais operam sobre bens de consumo que não foram projetados com este cuidado. A economia circular parte da proposta de desconstruir o conceito de resíduo com a evolução de projetos e sistemas que privilegiem materiais naturais que possam ser totalmente recuperados.

 

Fontes: https://www.ecycle.com.br/2853-economia-circular/

Please reload